TEIXEIRA NO AR

Tudo sobre Teixeira de Freitas e Região!

Polícia Teixeira

Polícia Civil soluciona homicídio bárbaro ocorrido em 2007 e prende um dos acusados

FORAGIDO

Teixeira de Freitas: Duas equipes de policiais civis, liderados pelos delegados Dr. Marco Antônio e Dr. Wendel Ferreira e comandados pelo delegado coordenador, Dr. Marcus Vinicius – efetuaram uma operação para cumprir dois mandados de prisão em desfavor de Marcelo Gonçalves Sobrinho, 24 anos de idade, morador do Bairro Caminho do Mar e do seu irmão Zenilton Gonçalves Sobrinho.

Os dois são acusados pelo homicídio cometido contra José Luiz Magnago, 55 anos de idade, funcionário público, assassinado brutalmente em 2007, no Bairro Jerusalém. Segundo os delegados, o crime contou ainda com a participação de um menor de idade, ainda não identificado pela polícia. Segundo as investigações, o crime foi cometido por motivos banais e teria sido motivado a partir de uma brincadeira que a vítima fez com a esposa do Zenilton.

Ainda segundo as investigações, os dois teriam usado o menor para atrair a vítima, que foi agredida violentamente por pauladas e facadas e quase teve a cabeça decepada. Por se tratar de um crime bárbaro e contra uma pessoa de bem, populares se comoveram na época e até hoje cobravam justiça. A prisão ocorreu por volta das 10h00 da manhã, desta sexta-feira, 05 de julho. O Marcelo foi conduzido até a delegacia e o Zenilton encontra-se foragido.

Segundo a Polícia Civil, o Marcelo foi preso recentemente na cidade de Soretama/ES por força de um mandado de prisão temporária e em seguida foi liberado. Logo depois a Justiça do Espírito Santo concedeu um mandado de prisão preventiva, mas o Marcelo já tinha retornado à Teixeira de Freitas, sendo o mesmo considerado foragido da Justiça capixaba. Marcelo é acusado no Espírito Santo por formação de quadrilha e roubo a banco.

Em entrevista à nossa reportagem, o Marcelo nega as acusações dizendo que em relação ao homicídio, dizendo que não teve participação e que não pode falar sobre o ocorrido. Marcelo também nega as acusações da polícia capixaba. O acusado permanecerá custodiado à disposição da Justiça.

Por: Edvaldo Alves/Liberdadenews

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *