TEIXEIRA NO AR

Tudo sobre Teixeira de Freitas e Região!

Polícia Teixeira

Teixeira: Funcionário da Engelmig é executado dentro do carro no bairro Vila Vargas

CARRO MORTO

Mais um assassinato foi registrado nesse início de mês de julho em Teixeira de Freitas. Desta vez o assassinato foi registrado na Rua João Palmeira Guerra, bairro Vila Vargas, em Teixeira de Freitas, na manhã dessa sexta-feira (12), por volta das 06:30h.

A vítima foi Adeilton Andrade Oliveira, de 39 anos, mais conhecido como “Olodum”,  um funcionário da empresa Engelmig, que morava em Teixeira de Freitas. Segundo informações de populares, ele havia acabado de chegar à residência da namorada, onde estacionou o veiculo Fiat Uno de cor branca, placa policial HTI 5538, licenciado de Campo Grande-MT, momento em que foi surpreendido por um elemento não identificado, abordo de uma motocicleta Bross na cor vermelha, de placa não identificada, vindo o mesmo se aproximar da vitima que ainda estava no interior do carro, onde o mesmo veio sacar-se de uma arma de fogo aparentemente um revolver e em seguida disparou 7 vezes contra a vitima e em seguida fugiu sem deixar pistas.

OLODUM

“Adeilton”, o “Olodum”, se quer teve tempo de sair do interior do veiculo, ele foi alvejado com 5 dos 7 disparos efetuados pelo matador, os quis lhe atingiram braço, tórax e costas e morreu sentado no banco do motorista.

A policia militar foi acionada, e compareceu rapidamente ao local, a qual fez isolamento da área, e na seqüência acionou a policia civil bem como a policia técnica, onde ambas compareceram representadas por Marcos Antonio Neves, (delegado do SILC) e Bruno Mello, perito criminal do DPT, onde realizaram o levantamento cadavérico e em seguida determinaram a remoção do cadáver para o Instituto médico legal, para as providências cabíveis.

FIAT UNO 2

Informações dão conta que a vitima havia ido até essa residência buscar a sua namorada, momento em foi surpreendido pelo matador. A policia civil já começou as investigações, mas acredita que o crime possa ter motivação passional, uma vez que a vitima não tinha histórico criminal e era tido como um homem trabalhador, mas não descarta outras linhas de investigações.

Por Arnóbio Formosa

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *