TEIXEIRA NO AR

Tudo sobre Teixeira de Freitas e Região!

Polícia Regionais SLIDE HOME

Polícia Militar prende mais dois que incendiaram ônibus em Guaratinga; Motivo teria sido tempos trabalhistas

 

 

CLARA 1Policiais nilitares da cidade de Guaratinga prenderam na noite da ultima quarta-feira (04), Geremias Silva Chaves e Marcelo Souza de Santana, mais conhecido por “Zara”. Os dois estavam foragidos, após a participação dos mesmos no incêndio do ônibus da empresa Brasileiro, durante a madrugada da ultima terça-feira (02).

Uma denúncia registrada pela Polícia Militar deu conta que Geremias e Marcelo estariam se refugiando em uma fazenda, que fica cerca de 10 km distante da cidade de Guaratinga. Desde as 10h, uma guarnição da PM comandada pelo tenente Diego Araújo, que estava acompanhado pelos soldados Neto, Ermisvaldo e Udson se empenhou nas buscas. Em determinado momento, um dos policiais chegou a avistar os dois fugitivos, que ao perceberem a presença da guarnição entraram em uma mata fechada. Já era noite, quando outra denúncia informava aos PMs, que Geremias e “Zara” estavam circulando na cidade. Por volta das 20h30, a polícia conseguiu  prender os dois que se encontravam na Avenida Brasil, no centro da cidade.

CLARA 2

Agora, os três, Reinaldo Nunes, Marcelo Souza e Geremias Silva, apontados pelas investigações da Polícia Civil, como sendo os responsáveis pelo incêndio criminoso ao ônibus da Viação Brasileiro, já estão presos. Todos tiveram prisão preventiva decretada, na manhã desta quarta-feira, dia 3, pelo Juiz da cidade de Guaratinga.
MOTIVAÇÃO DO CRIME

CLARA 3


De acordo com o depoimento de Reinaldo Nunes Cruz, Geremias teria descido de um veículo ocupado pelos três acusados e caminhado até o  ônibus, onde colocou fogo em uma camisa e depois a jogou dentro do veículo por uma das janelas, que ele mesmo conseguiu abrir. Em seu depoimento à policia, Geremias confirmou que foi a pessoa que colocou fogo no ônibus por motivo de vingança, já que ele teria trabalhado como motorista na Expresso Brasileiro e tinha uma causa trabalhista no valor de R$ 30 mil, que não havia sido resolvida. Geremias ainda contou à polícia que a camisa utilizada para atear fogo no ônibus foi fornecida por Reinaldo. (Com informações de Estevão Silva)

 

 

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *