TEIXEIRA NO AR

Tudo sobre Teixeira de Freitas e Região!

galeria Polícia

Adolescente de 17 anos é assassinado a tiros bairro Tancredo Neves, em Teixeira de Freitas

DSC00105

Mais um adolescente foi brutalmente assassinado em Teixeira de Freitas  nesse início de mês de setembro. Desta vez o crime foi registrado no bairro Tancredo Neves, na Rua João 30, entre a Creche Nova e o imóvel do Posto Policial, já na área do loteamento Zé da Mata.

Segundo informações de populares, o crime foi registrado por volta das 22h e vitima foi identificada como sendo Felipe Oliveira Lima, de 17 anos, que morava na Rua “J”, nº 312, bairro Redenção, em Teixeira de Freitas. Informações dão conta que elementos não identificados, provavelmente a bordo de uma bicicleta teriam interceptado o adolescente “Felipe” em plena via pública e executado como três disparos a queima roupa.

“Felipe” foi atingido com um projétil na região do peito, lado esquerdo, um no rosto e outro na cabeça, e caiu morto no meio da rua. A policia militar foi informada do fato e logo e em seguida compareceu ao local para fazer a preservação da área.

DSC00100

A policia civil também foi acionado, bem como a policia técnica, ambas compareceram representadas pelos policiais, Wendel Ferreira (delegado do SILC), João Silva, (escrivão), Marco Antonio Lima (perito criminal) e  Alexson Magalhães (perito técnico), além do auxiliar de necropsia “Chicão, onde realizaram o levantamento cadavérico do corpo da vitima e em seguida removeram o mesmo para o IML.

MENOR 1
Equipe do DPT realizando o levantamento cadavérico

Os trabalhos de necropsia serão realizados na manhã dessa terça-feira (10) e em seguida o corpo será liberado aos familiares para velório e sepulto. Um irmão da vitima compareceu ao local de crime. O homem informou que seu irmão já tinha uma passagem pela policia por um suposto envolvimento em crime de roubo, inclusive havia deixado a delegacia há 10 dias.

O delegado Wendel Ferreira informou que vai instaurar um inquérito policial para apurar a autoria e motivação do assassinato.

Por Arnóbio Formosa

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *